Como surgiu a iniciativa Pró-Juventude Bahia?

Inspirado no diário de Ute Craemer “Favelakinder” (publicação da Editora Freies Geistesleben), o médico antroposófico, aposentado, Wolfgang Knipping, visitou a favela Monte Azul em São Paulo no Brasil em 2003 e concluiu: a novidade na proposta de Ute CRAEMER reside no fato de ela investir em um desenvolvimento sustentável. Mudar a situação nos países pobres não significa fazer reivindicações utópicas ao governo, mas, sim, favorecer a transformação do indivíduo, de modo que ele se conscientize de suas habilidades criativas e aprenda, cada vez mais, aplicá-las. (in: jornal “Reutlinger Generalanzeiger”).

Em 2007, Doris e Wolfgang Knipping decidiram, determinados por esta concepção, unir esforços junto à iniciativa Waldorf em Várzea da Roça, no sertão seco da Bahia, marcado pelo êxodo rural. Assim foi fundada a associação escolar brasileira Associação Pedagógica Waldorf Várzea da Roça, juntamente com 15 professores locais, que assumiram a gestão de todo o projeto nos anos seguintes. Inicialmente esta sociedade contou com o acompanhamento de uma associação alemã, que angariou doações para as construções no estabelecimento, que ocorreram gradativamente. Em 2010, o gerenciamento das doações foi, gentilmente, assumido pelo órgão de fomento alemão “Freunde der Erziehungskunst Rudolf Steiners”.

Como a nossa entidade se encontra na zona rural de Várzea da Roça, o projeto tem por objetivo, não apenas, a criação de uma escola e de um jardim de infância com atividades afins, mas, também, atuar na educação de jovens e adultos. Assim sendo, pretendemos, de acordo com as possibilidades, oferecer palestras e cursos de extensão nas áreas de pedagogia, medicina, agricultura, línguas estrangeiras, música, bem como aulas de capoeira e de dança. Regularmente convidamos as famílias da cidade para participar das atividades festivas.